06 março, 2012

Saiba o que pode e não pode ser consumido para um aleitamento saudável

.Dieta e amamentação
É a combinação de todos os grupos de nutrientes - carboidratos, proteínas, lipídios, vitaminas, minerais - que fará a amamentação o mais saudável possível, contribuindo para a saúde do bebê. As porções adequadas de cada nutriente deve ser definida por um nutricionista a partir da idade da mãe, de seu peso, altura, nível de atividade física, tipo de aleitamento praticado (exclusivo ou misto) e número de bebês que amamenta
Tudo para você amamentar tranquila.
O processo de amamentação gasta de 500 a 700 calorias por dia. “Isso representa um gasto de energia 30% maior do que de costume só com a produção de leite”, afirma a nutricionista Flávia Figueirêdo. Além disso, seu bebê precisará de cerca de 600 calorias por dia para se nutrir e todas elas virão do leite materno. 
Para repor toda essa energia, a mãe deverá se alimentar cerca de seis vezes ao dia, contando com as três refeições principais e mais três lanches simples para que a ingestão de calorias possa ser feita a cada três horas, mais ou menos.
Portanto, fazer dieta durante o período da amamentação poderá prejudicar a produção de leite. “Muitas mulheres costumam cortar proteínas e carboidratos - ou diminuir bastante sua ingestão - a fim de recuperarem o peso que tinham antes da gestação”, alerta a nutricionista. 
Outro aspecto importante da amamentação é que ela demanda muito líquido. Então, se você já tomava cerca de dois litros de água por dia, dobre a quantidade. Evite também ingerir bebidas alcoólicas enquanto amamenta e, como tudo o que a mãe come chega ao bebê através do leite, é bom evitar alimentos que causem gases ao pequeno, como refrigerantes, doces e fibras em excesso. Dentro de algum tempo, a própria mãe saberá o que causa desconfortos ao seu filho.
Se for preciso que a mãe perca algum peso durante a amamentação ou restrinja sua alimentação – caso da diabetes, por exemplo – deverá ser feito um acompanhamento com um nutricionista, que indicará uma dieta substitutiva ao invés de restritiva, trocando alguns carboidratos por outros, por exemplo. Nesses casos, a indicação é de que se perca, no máximo, 0,5 kg por semana.
No mais, com uma alimentação equilibrada durante toda a gravidez e a lactação, aliada à prática regular de exercícios físicos moderados, não deverá ser difícil retornar ao peso que se tinha antes da gestação. Se esse não for o seu caso, espere passar pelo menos os seis meses de aleitamento materno exclusivo para começar uma dieta menos calórica e recuperar a forma física de antes.
Consultoria: Flávia Ferazzo Figueirêdo, filha de Roseli e Fernando, é nutricionista e especialista em Nutrição Clínica Funcional.



0 comentários:

Quem sou eu

Minha foto

 27 ANOS, MAQUIADORA, CASADA, BUSCANDO VIVER OS PRINCÍPIOS DE CRISTO.

Seguidores

Instagram

Instagram

Fan Page

Tecnologia do Blogger.

Postagens populares

Search

Carregando...